quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Espaço "fanfic": Fanfic da Dri - Parte IV

Capitulo 6
Depois do banho, quarto da Inês:
Andreia – Veste esta roupa da Inês!
Adriana – Obrigada por isto, Andreia!

Andreia – Não tens de agradecer, é para isto que as amigas servem! Eu vou descer para te acabares de arranjar. Vê se te acalmas mais um bocadinho e depois desce ok?
Adriana – Sim! Obrigada!

Adriana veste as calças de ganga escura, uma camisola vermelha e uns botins de salto e começa a olhar em seu redor. O quarto era muito bonito, a decoração tinha tons claros e estar naquele espaço conferia-lhe paz.

Adriana repara então numa foto na mesa-de-cabeceira, agarra-a. Era uma foto de Inês e Rúben, ela agarrou-a e fitou-a durante vários segundos. Eles estavam abraçados e com sorrisos enormes, parecia uma daquelas fotos dos amores dos livros, das revistas ou dos filmes.

Adriana sentia inveja do que eles tinham… Não era inveja de lhes desejar mal ou querer que se separassem porque ela adorava o seu melhor amigo e sabia que o seu lugar era do lado da Inês, era inveja de ela não ter o mesmo que eles.

Não ter uma relação seria, alguém que amasse de verdade e que fosse capaz de o admitir. Abandonou esses pensamentos, pousou a foto e desceu as escadas até chegar perto deles na sala.

Inês – Então? Sentes-te melhor?
Adriana – Sim… Obrigada por tudo!

Rúben – Não tens de agradecer… É para isto que os amigos servem…
Adriana – Eu tenho de ir para casa, vou chamar um táxi.

Rúben – Nada disso! Primeiro come qualquer coisa, fica connosco e depois eu levo-te a casa…
Adriana – Não sei… (Rúben olhou para ela com uns olhos a implorar e ela fitou David que a olhava expectante) Ok, também hoje estou mesmo sozinha em casa por isso… Ia morrer de tédio! (sorri)

Jantaram com calma, com muita conversa à mistura e risadas. Agora uns jogavam jogos na sala e outros conversavam amenamente.

Adriana sentia-se completamente desintegrada e não conseguia deixar de pensar em tudo o que se tinha passado naquela noite. A verdade é que ela se julgava condenada à solidão e pensava que jamais teria alguém que a amasse por aquilo que era, sem contrapartidas, sem mentiras.

Adriana abre o frigorífico e serve-se de um copo de água gelada. Não serviu apenas para lhe matar a sede mas para lhe limpar a alma e lavar-lhe todos aqueles pensamentos. Senta-se na bancada da ilha no meio da cozinha e aproveita a vista sobre Lisboa que se via da janela da cozinha.
Cada luz perfeita que delineava as colinas lá ao fundo, num céu negro, cada pormenor analisado delicadamente pelo seu olhar atento que Adriana acompanha com um último gole de água.

David – Ah então era aqui que cê tava!
Adriana – Parece que sim! (olhando por cima do ombro para a porta onde David entrara)

David – Cê não quer ir jogar pictionary com a gente?
Adriana – Não estou com muita vontade…

David – Mas pelo menos vem pró pé da gente…
Adriana – Não me apetece ir para o meio da confusão…

David – Ah mas eu não vou deixar você aqui sozinha não!
Adriana – Hum… (resmunga)

David – Eu vou ficar aqui com você!

David permanece em pé em frente a Adriana, mas nem estando sentada na bancada da ilha da cozinha faz com que seja mais alta que David.

Adriana – Não é justo! Vai-te divertir!
David – O que não é justo é cê ficar aqui enquanto está todo o mundo se divertindo e jogando na sala. Se você não vem eu fico!

Adriana – Então fica! Porque eu não vou! Não me apetece estar no meio de confusões. Preciso de paz… Para pensar…
David – Posso fazer-te uma pergunta? Senão te importares claro!
Adriana – Claro! Chuta!

David – Porque é você tava chorando? Não tem de responder senão quiser…
Adriana – Não há problema nenhum… Não é segredo para ninguém! Eu gosto de um rapaz ou pelo menos gostava, e fi-lo durante 3 anos e ele durante três anos gozou comigo. Ele sabia que bastava estalar os dedos e eu corria atrás dele e era mesmo isso que ele fazia. Dizia que me amava, eu acreditava e depois negava tudo, humilhava-me e fingia que eu não existia, e depois voltava e fazia o mesmo, durante 3 anos, e eu sempre a cair porque o amava… Agora percebo que aquilo não é nem nunca foi amor, era tipo um vício, uma obsessão, era tudo menos amor. Mas agora percebi que ele não vale a pena e que mereço alguém melhor. E então estou a esquecê-lo….

David – Se ele fazia isso com você era porque não te amava de verdade… Quem ama alguém de verdade não machuca ela dessa maneira não! Claro que as pessoas se acabam machucando de alguma maneira mas às vezes é porque se gostam demais, não amar é sofrer mas amar é sofrer muito mais, mas agora brincar com os seus sentimentos… Esse cara deve ser maior otário de sacanear uma menina linda que nem você!

Adriana ri-se timidamente

David – Isso na sua cara foi um sorriso? (sorrindo) (Adriana assente com a cabeça) Assim eu gosto mais! Que linda! Esquece esse cara vai! Há aí um montão de caras querendo te conhecer e namorar você pra quê perder tempo com um cara desses? Vai mas é se divertir, conhecer caras novos, e deixar esse babaca para lá!
Adriana – Obrigada, por tudo!

David fita Adriana e ela faz o mesmo. Olham-se intensamente nos olhos e estão cada vez mais próximos, David apoia timidamente as mãos na bancada aproximando-se assim de Adriana e esta tenta manter-se concentrada para não fazer nenhum disparate.

David – Não tem de agradecer não, os amigos são para isso mesmo!

David e Adriana estavam a milímetros de se beijarem, Adriana luta interiormente para se afastar de David mas ele é como um íman que a puxa com uma força que lhe é superior e imparável. Vendo que as suas tentativas são falhadas Adriana fecha os olhos decidida a deixar-se levar pelo momento.

Adriana sente o hálito quente de David nos seus lábios entreabertos e David acaricia-lhe a face ao mesmo tempo que desvia uma mecha de cabelo da bochecha direita de Adriana partindo assim para unir os dois lábios. Os escassos milímetros de o fazer são interrompidos.

Andreia – ADRIA... (entra na cozinha e vê aquela cena) …NA. Desculpem interromper eu não sabia que estavam aqui! Quer dizer sabia, mas pensava que estavas sozinha! Ok, esqueçam!

Desculpem!
David afasta o seu rosto de Adriana e larga a mecha de cabelo dela que segurava delicadamente com a sua mão.

Adriana – Não interrompeste, nos estávamos só a conversar… (Olha David nos olhos e volta-se de novo para Andreia) Querias alguma coisa? (disfarça percebendo que Andreia estava realmente atrapalhada)
Andreia – Vinha dizer-te que eu e Fábio vamos andando e vinha despedir-me de ti…

Adriana – Já?
Andreia – Sim, amanhã há coisas a fazer!

Adriana – Okay, então vemo-nos no próximo jogo?
Andreia – Claro! Óbvio!

Adriana e Andreia despedem-se com dois beijinhos e o mesmo acontece com David. Ambos seguem atrás dela para a sala para se despedirem de Fábio.

Sala:
Adriana – Então, eu lá estarei para ver o jogo!
Fábio – Assim é que se fala lampiona!

Todos se riem. Fábio e Andreia vão embora.

Adriana – Bem eu também tenho de ir andando… Alguém viu o meu telemóvel por ai?
Ruben – Para que é que o queres?

Adriana – Olha! Para chamar um táxi, para que é que achas?
Rúben – Nem penses, eu levo-te a casa, é num instantinho…

Adriana – Não é preciso… Ficas aí com a Inês. Aproveitam o tempo para namorarem… (enquanto procura o telemóvel)
Rúben – Nem penses! Eu levo-te!

Adriana – Ficas e pronto! (encontra o telemóvel) Aqui está ele!
Javi – Nosotros te llevamos!

Adriana – Não! Vocês não têm mais nada que fazer do que ir levar-me a casa? Vão namorar! É para isso que servem os namorados e as namoradas. Acreditem levar-me a casa não é assim tão entusiasmante como namorar! (ironiza)
Rúben – Adriana vá lá, o Diogo pode voltar a aparecer. Deixa-me levar-te ou então fica aqui em casa. O quarto de hóspedes está livre.

Adriana – Nem pensar! Eu vou para casa! De táxi! Acabou-se a discussão!
Rúben – És mesmo teimosa!

David – Eu levo você! É perigoso apanhar um táxi a essas horas da noite! Eu te levo… Ah e escusa de vir com a desculpa de namorar porque eu não tenho namorada! (Adriana olha para ele como que implorando para que ele não fizesse aquilo) E escusa de olhar assim para mim com esses olhões porque eu vou te levar de qualquer jeito!
Adriana – Fogo! Vocês são cá uns chatos!

Rúben – Obrigado David, assim fico muito mais sossegado! Vá lá Adriana. Vai com ele e porta-te bem! Não sejas refilona! Facilita!
Adriana – Ok, ok. Mas é só para não ficares preocupado! (Dá-lhe um beijo no rosto e um abraço) Obrigada por tudo amigão! Nem sei como agradecer!

Rúben – Não tens de o fazer! Sabes que eu estou aqui para tudo! (separa-se do abraço e sorri-lhe)
Despedem-se todos e cada um segue para a sua casa, Javi com a sua namorada Elena vão para casa, Inês e Rúben ficam na casa deles, e Adriana e David… Bem! Esses ainda iam ter uma noite bastante longa!

Capítulo 7
Parque de estacionamento:
Adriana – Este é o teu carro?
David – Sim, não é nenhum Ferrari nem nenhum Mercedes mas as miúdas costumam gostar… (brinca)

Adriana – Não posso! Eu queria que este fosse o meu primeiro carro depois de tirar a carta. Acho-o perfeito! É desportivo mas tem um toque de classe, perfeito para uma rapariga como eu!

David – (tosse) Bem obrigado pela parte que me toca!
Adriana – Tu percebeste o que quis dizer… Não te quis ofender, é um carro muito masculino mas acima de tudo é desportivo e combina na perfeição comigo! Não te estava a chamar menina ó! (riem-se ambos)

David – Ah fico muito mais descansado! Acredita! Vamos embora então?
Adriana – Claro!

David e Adriana foram falando durante todo o caminho até sua casa, e David não conseguia esconder um sorriso meio parvo na cara sempre que desviava discretamente os olhos da estrada e os punha em Adriana, que nem reparava na maneira como ele o fazia porque ia demasiado entretida com a conversa mas sempre atenta ao caminho para garantir que David não se enganava no caminho até sua casa.

“Ela é perfeita!” pensava David a cada sorriso parvo que lhe lançava.

Adriana – Chegámos!
David – É aqui?

Adriana – Sim… Neste prédio!
David – É um bom sítio…

Adriana – Moro aqui à pouco tempo, esta casa é só minha mas por enquanto divido-a com os meus pais porque a deles está em obras e não valia a pena eles gastarem dinheiro num hotel.

Porta do prédio:
David – Você é muito chegada à sua família?
Adriana – Sim… Pode-se dizer que sim. Não dispenso passar tempo de qualidade com eles… Sou muito ligada à minha mãe e desabafo tudo com ela, e em relação ao meu pai sempre fui a menininha do papá. Somos muito unidos…

David – Também sou muito unido à minha família, um dia você devia conhecê-los… Eles iam adorar você…Eles adoram conhecer os meus amigos…
Adriana – Quem sabe… Talvez um dia destes! Vou entrando… Está a ficar tarde… (procura as chaves na mala) Bolas! Não acredito!

David – Que foi?
Adriana – Não tenho chaves… Devo ter-me esquecido delas e os meus pais não estão cá… Estão na terra da nossa família … Eu não acredito! (agarra no telemóvel) Vou ligar à Débora! Tou?

Olha, não tenho chaves de casa será que podia ir dormir a tua casa? Ok, tudo bem! Não há problema eu cá me desenrasco… Tchau! Beijinhos!

David – Então?
Adriana – Ela não esta em casa… Agora onde é que eu vou dormir? Posso sempre ir para um hotel passar só esta noite mas não tenho nada comigo! Nem um pijama!

David – Você pode dormir na minha casa…
Adriana – Hã? Na tua casa? Nem pensar!

David – Sim… Ou você está pensando dormir na rua? Eu só tenho um quarto mas alguma coisa se há de arranjar… Nunca se deixa um amigo dormindo na rua…

Adriana – Acho que nestas condições não estou no direito de ser esquisita. De certeza que não vai haver problemas? Não tens de fazer isto só para seres simpático…

David – Não estou só a ser simpático… Quero mesmo que venhas! Para não dormires na rua claro! (disfarçando)

Adriana – Acho que não estou em condições de recusar…
David – Então vamos!

Casa de David Luiz:
Ele abre a porta e mostra-se contente por ter Adriana por perto.
David – Bem-vinda ao meu castelo! (brinca)

Adriana – Hum… É gira… Para um solteirão a morar sozinho nada mau!
David – Eish! Não é preciso ofender!

Adriana – Hum hum! Claro! (gozando)
David – Bem você quer comer ou beber alguma coisa?

Adriana – Um copo de água não ia mal…
David – Então sai um copo de água!

Cozinha:
David – Aqui está! (estendendo-lhe o copo de água)
Adriana – Obrigada! (dá um gole)

Adriana olhava para David e não conseguia esconder um sorriso parvo que teimava em surgir-lhe na cara por muito que o tentasse travar.

David – Tá olhando pra mim assim porquê?
Adriana – Estava a pensar que és muito diferente…

David – Diferente?
Adriana – Sim… Daquilo que eu tinha imaginado.

David – Ah então aí eu não sou diferente não, as revistas e isso é que não passam a imagem verdadeira de mim.
Adriana – Pelas entrevistas e isso percebe-se que és uma pessoa simples, humilde, honesta mas há mais coisas que as entrevistas não deixam transparecer. Tu és verdadeiro, genuíno, há alguma coisa em ti que eu não sei explicar…

David – Espero que isso seja bom…
Adriana – É! Acredita! (sorri e dá outro gole no copo)

David – Assim fico bem mais sossegado! Você quer fazer alguma coisa, ver um filme, sei lá! Ou está cansada e prefere ir dormir?

Adriana – Cansada eu? Não por esta hora se tivesse em casa estava a dar uns socos no saco, ou a ensaiar a minha coreografia de contemporâneo por isso energia a mim é coisa que não me falta!

David – Dar socos no saco? Você luta?
Adriana – Sim, Kickboxing! Já pratico o desporto há dois anos.

David – Devo fugir?
Adriana – Não, senão houver saco eu não luto. Se bem que até nem serias mau para saco…

David – Sim, mas vamos esquecer essas ideias!
Adriana – (punhos junto à cara em posição de ataque) Vá lá! Não me digas que o fraquinho afinal és tu e não o Rúben… (dá uns socos no ar para aquecer mas percebe o estado de pânico de David e desmancha-se a rir) Estava a brincar, ó!

David – Tomei maior susto! Achei que você ia mesmo me bater…
Adriana – Não… Eu não bato em fraquinhos! (rindo)

David – Ah engraçadinha você! Mas agora a sério, se não está cansada quer fazer o quê? Ver um filme, televisão, ou simplesmente nada porque já esta farta de mim?
Adriana – Farta de ti? Bem a essa não respondo porque não quero ferir os teus sentimentos (brinca) Sei lá podemos ver um filme?

David – Por mim… Tudo bem!

Sala:
Ambos se riem à gargalhada

Adriana – Este filme é muito bom!
David – Mesmo! Muito engraçado!

Adriana – Eles vão-se apaixonar aposto! Esta comédia romântica é das melhores que já vi até hoje…
David – Só a estamos a ver há 15 minutos…

Adriana – Mesmo assim… Eu tenho olho para isto…

25 minutos depois…
Adriana – Não acredito que ele a vai deixar! Eles não podem acabar separados!
David – Ah eles ficam juntos de certeza, nos filmes é sempre assim…

Adriana – Ai, ele foi-se embora! Que triste!

Adriana agarra-se ao braço de David, mantendo um braço enroscado no dele e a sua mão disponível desliza quase que instintivamente pelo braço a baixo até se unir á dele. Apesar de ser tímido David não foge com a mão e agarra a mão dela com firmeza para ter a certeza que ela não se arrependeria e tiraria a mão.

O que tinha começado como uma noite de casais, com muitas confusões, em casa de Inês, acaba agora em casa de David.
Sem quase darem por isso e sem saberem bem como ali estavam os dois agarrados, de mãos dadas a ver um filme.
David usava o seu polegar para fazer ligeiros movimentos na mão de Adriana acariciando-a, eram como festinhas mas que provocavam a Adriana cócegas e uma sensação de nervosismo no estômago.

continua...
PS: A responsabilidade do texto é do próprio autor.

16 comentários:

Pipa disse...

Está linda linda linda!
Quero mais :)
E quem fala mal não tem mesmo olhinhos na cara.
Beijos

Daniela disse...

muito mas mesmo muito bom adorei parabens!!!

Catia disse...

Lindo. Estava a ver que nao publicavas mais. Continua assim, ta espectacular e agora esta na melhor parte :)

Anónimo disse...

Hum esta a aquecer ! Estou curiosa como e k vai acabar a noite.... :D
Espero pela continuaçao.:p

By:Natacha

Anónimo disse...

Está espectacular.É a melhor,na minha opinião.Estou desejosa pelo próximo capitulo.Continua assim.
Beijinhos

Patricia Silva disse...

parabens dri...

boa fic..

estou a adorar!!!

continua ;)

DL <3 #23

Anónimo disse...

parabéns,está mesmo lindoo :)
esperoo ver a continuação .
beijinhoos ;)

Thu disse...

anciosa pela continuação! *o*
esta ficando muito boa a Fic! ^^

beeiiiijo

Myself +.+ disse...

Mais uma parte da tua fic que adorei
Continua
É mesmo muito boa +.+
Parabens

Anónimo disse...

melhor parte, continua com o bom trabalho ;)

Anónimo disse...

wow está um espetaculo... Tb quero mais, está a ficar picante uuuiiiiii...
Parabens Dri
bjin

Anónimo disse...

AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIII *.*
QERO MAIIIS!
esta a ser tao romanticooo!
omg!

parabéns adriana (;
tens mesmo geito :D

Anónimo disse...

Bem a história está cada vez mais liinda, a sério +.+ ... está na melhor parte ^.^

Continua tens muito jeito =DD

Anónimo disse...

Esta mt bonito! tens mt jeito! continua!! quero ver o prox.capitulo

solinDL23 disse...

Cada vez está melhor!!!
Parabens!!
Quando lanças a continuação??!!

Rita disse...

Está FANTÁTICA!!!
Quando lanças a continuação???